sábado, 25 de abril de 2009

Sapatos, Roupas e Príncipes

Já fui consumista de brincos, maquiagens (ainda sou), perfumes (ainda sou mais ou menos)... mas uma coisa que definitivamente não entendo, é o consumo por sapatos e roupas.

Explico.

Acho um horror experimentar roupas em provadores. Isso me estressa, e tanto que geralmente saio das lojas totalmente de mau humor. Acabo nao levando.

Outra coisa que me estressa é sair pra comprar sapatos... nunca acho um que realmente eu queira e vá usar... e sandálias então... odeio sandálias de salto alto, totalmente desconfortável, nota-se nas festas... as gurias lá pelas 3h, 4h da manhã estão exaustas e reclamando de que no banheiro? Do sapato, da sandália.

Vou de rasteirinha mesmo. Adoro. E com essa moda de sapatilhas... aderi totalmente.

Mas voltando ao assunto... eu não entendo como alguém pode ter mais de 300 pares de sapatos como li esses dias na ZH, também não entendo alguém que tenha mais de não sei quantas calças... uma coisa é fato... eu acabo sempre usando as mesmas roupas e adoro o preto e branco. Combinam com tudo mesmo. Azar de quem falar que é monótono, pelo menos não tenho infinitas prestações da Renner, no cartão de crédito, etc.

Não entendo mesmo esse consumo por roupas. Conheço uma guria que tem um roupeiro do tamanho da parede, de cima abaixo atolado de roupas e mais roupas. Pra que??

Então cheguei a conclusão que tem gente que gosta é de aparecer, como se tivesse todo dia saído direto de uma loja do shopping. As pessoas não se vestem pra si mesmas, e sim pros outros. Pra receber elogios, pra ficarem comentando "olha que roupa linda da fulana", "olha que blusa da fulana", e por aí vai.

Eu sinceramente, acho isso coisa de adolescente, porque na adolescencia é que fui assim, de chamar a atenção pelas roupas, pelo tic-tac na cabeça, pelo tênis do momento... agora penso que cresci em relação a isso, até que vejo gente da minha idade ou mais, que tem ao meu ver, uma tara por sapatos. Ah! Entenderia muito bem se fosse taras por livros, por viagens, por fotos... mas sapatos? Que eu saiba, o ser humano não é parente da centopéia.

Como disse saiu na ZH uma reportagem sobre isso, e então um fulano declara: "Desde criança, as mulheres descobrem que, junto com o sapatinho de cristal e salto alto, vem um principe encantado e um castelo".

Ah!

Poxa vida... Quem é que sonha com principe encantado? As feministas que tem mais de 300 pares ou mais de 500 roupas? Estamos em 2009 por favor... e dizer que as mulheres investem o seu R$ em sapatos, porque inconscientemente estão a procura do principe encantado... é no mínimo "marcketing" pra atrair mais "mulheres influenciáveis".

Que principe encantado que nada! Isso é luxuria mesmo... comprar e comprar e comprar... é não conseguir se controlar... é ter "amor" demais por algo totalmente material.

Se ser mulher significa andar de salto alto, desfilar vários pares de sapatos e roupas... estou no limbo então, pois não sou mulher e não procuro principe encantado.

:)

Nenhum comentário: