sexta-feira, 5 de junho de 2009

Murphy Impera


"Se você tem alguma coisa há muito tempo, pode jogar fora. Se você jogar fora alguma coisa que tem há muito tempo, vai precisar dela logo, logo."

Eu vivo me desapegando das coisas... ultimamente, quando estou no meu quarto... fico vasculhando e vasculhando e sempre encontro alguma coisa que não uso há muuuuuuuuuuuito tempo e... o destino da coisa não usada e empoeirada será: doação ou lixo mesmo.

O mesmo faço com roupas que não uso há uns 3 anos... todas sofrem doação e minha cunhada deve estar bem feliz com isso, afinal ela já tem várias roupas minhas e está bem agasalhada pra esse inverno e desagasalhada para o próximo verão.

Enfim.... o certo é que, fora as roupas, ultimamente ando doando esmaltes, maquiagens, livros de faculdade, alguns resumos que tem como destino o lixo... só que o problema é que SEMPRE, mas SEMPRE logo após a bendita doação... eu preciso dos objetos doados.

A pessoa quer fazer um bem pra humanidade e pra si mesma (deixar seu quarto mais "clean") e eis que sempre que ocorre alguma doação... logo, logo vou estar precisando do que doei.

Seja porque agora aquele esmalte doado é a cor do momento de agora, o livro que doei tinha "aquele" capitulo importante, o resumo que escrevi tinha um "detalhe" importante, o brinco que já não está mais entre minhas coisas combina com a roupa nova que comprei... enfim... isso é revoltante.

Uma vez a minha professora de Yoga, disse que doando as coisas, a gente recebe coisas novas e limpa a alma, já que doar o que nao se usa é algo completamente "positivo" e traz "bons fluidos". Então!!!!!!!!!!!! Venho fazendo isso há uma tempão e nada de positivo acontece, somente a "dor de cabeça" de ter que ficar catando as coisas dentro do meu quarto, pra depois de muita procura... me dar conta que tal objeto encontra-se "doado"....

Isso é algo positivo na cabeça de uma pessoa? Não, isso é dor de cabeça mesmo, porque clean e coisas novas inexiste....

Afff....

Um comentário:

Fernanda disse...

Não se preocupe Re.. vc não está sozinha... A lei de Murphy também rege a minha vida...