terça-feira, 14 de julho de 2009

Análise Perceptiva


Não sei vcs... mas um determinado tipo de assunto aguça horrores a minha curiosidade, enquanto que outros tipicamente curiosos sobre a vida alheia... a minha curiosidade nem faz questão de saber/ouvir.

Exemplo: se conheço alguém que teve um namoro longo/curto ou casamento que acabou, já vou logo perguntando porque acabou, quando foi, quanto tempo, etc, independente da pessoa ser do meu circulo de amizades ou não. Pouco me interessa quem é fulano ou ciclano que levou o chute ou foi chutado, o que me interessa é a história em si.

Agora se fulano/ciclano, conhecido ou não, trocou de emprego, trocou de carro, se mudou, tá se mudando, quer estudar tal coisa, quer viajar e etc... nada disso aguça a minha curiosidade quanto saber da história de amor que acabou.
Quem me conhece, sabe que sou assim. Vou logo perguntando "porque". E também não me importo se a pessoa não quer falar sobre o assunto, geralmente isso é um tabu. Por experiência de tantos "porques" que já perguntei, eu sei que todos me respondem o real motivo da separação do namoro/casamento, acho que depois de uns 5 segundos "pós-porque" as pessoas me enxergam como uma terapeuta. Porque pergunto mesmo, deixo a pessoa falar sem ter hora pra acabar.

Tem aqueles que inventam detalhes que gostariam de ter vivido, que querem "decorar" o chute que levou ou que deu, querem romancear toda a história e eu me presto pra ouvir. E também tem aqueles que inventam o motivo do término pra si mesmo e pra mim, que escuto, com o objetivo de tornar menos doloroso o fim da história de amor vivida. Nada melhor do que comediar uma história infeliz e tirar um sorriso amargo dela.

O mais interessante é quando tenho a possibilidade de ouvir os dois lados, mas claro, sem os respectivos autores da história saberem. Aí que eu me deleito realmente, minha análise sobre o assunto ultrapassa qualquer escala da percepção e do 6ª sentido.

Se isso me torna uma pessoa melhor ao saber de tantas histórias de amor trágicas, eu não sei. Mas que o meu conhecimento em relação a "pessoa-ser-humano" ficou mais amplo... disso eu não tenho dúvida.

9 comentários:

Encosto de Bette Davis: disse...

Ain eu adoro saber as historias e as coisas ateh pq minha futura profissão exige que eu me atente e descubra os detalhes da vida alheia.

Desabafando disse...

eu tb sou curiosa pra essas coisas...mas nem todo mundo gosta de me contar e eu tenho medo de parecer enxerida...rsrsrs...

Deni Maciel disse...

vc está prestes a se tornar uma psico.nselheira amorosa....hahaha q "artigo" mais intrigante e diferente.
eu me interesso por todos mas quando as pessoas perdem emprego eu sinto o q vc sente no q tange amor kkkkkk [curiosamente falando]

bom atualizei o blog e postei as respostas das bandas lá..
brigado por ter colaborado lá e sempre será bm vind...

www.bocadekabide.blogspot.com

abraço e ótima quarta

Tiago disse...

Rsrs

Deve ter se tornado uma expert no assunto!!

Pode deixar: na minha próxima separação - conto tudinho pra vc!!rs

Beijos!!

☆ Káh.Kau ☆ disse...

Logo qdo um relacionamento acaba a pessoa não quer falar mesmo, mas, depois q vai passando a pessoa até se abre e conta tudo, eu mesma qdo passei por isso uma x só graças a Deus, pq dói demais, no começo não queria nem sair de casa, mas, depois que passou, aí já conversava, saia...mas, eu mesma não sou muito de perguntar só depois de muito tempo q sondo algo. Mas, pq me preocupo em querer ajudar como vc disse tbm...bjoks ^^

jadeamorim.com disse...

Eu sempre gostei de dar uma de terapeuta, psicóloga, ombro amigo e relacionados! Gosto de ouvir os outros e dar dicas, palavras de otimismo e etc.
Acho que isso também me ajuda!
E quanto ao meu post, era fictício sim! =)
Obrigada pelo coment!


Beeijos!

Laritz disse...

Eu sou uma pessoa extremamente curiosa. Quando era pequena, meu apelido era "a rainha dos porquês". Deve ser por isso que virei jornalista! Eu sou tão curiosa que já perdi a estação de metrô por querer acabar de escutar a história que estava sendo contada ao lado - e o detalhe que eu estava ouvindo de penetra... rsrsrs... Beijos!

Rê :) disse...

Ahhhh que bom que não sou a única nesse mundo!!!

HAUAHUAHAUAH! Adorei os comments! ;)

Dessa disse...

As vezes a pessoa que leva um pé precisa contar, xingar, xingar mais, não deixar o assunto morrer e o melhor que podemos fazer é o papel de amiga é ouvir.
Eu já sou o contrário: quando levo um pé na bunda eu sofro, sofro, choro, choro, conto pra todo mundo que me perguntar o que foi e....chega porque a fila anda e eu tenho mais o que fazer da vida. Não é?