quinta-feira, 11 de março de 2010

Parte da minha Estante



Tá certo que eu adoro estar em companhia de pessoas, amigos, familiares e apensos. No entanto, ultimamente eu adoro estar só.

Seria "depressión" seguida de um colapso de pânico? Afinal hoje é muito fino alguém dizer: fulano está com sindrome de pânico, é doença moderna, néam.

Acho que estou com síndrome de Renato Russo, nada está dando certo, a sociedade é hipócrita e por isso vou me enclausurar no meu quarto, beber, ler e desligar a TV. O problema é que não posso me dar ao luxo desse bel prazer, pois não tenho a conta bancária de falecido e muito menos jornalistas na minha porta querendo saber sobre a minha vida.

O problema é que peguei náuseas das pessoas ao meu redor e o pior de tudo é que não é um sentimento que todos os dias eu alimento, não, é um sentimento que simplesmente me invade e por ali fica. Exceto papai e mamãe, of course. E algumas amigas(os) vitalícias, essas eu tenho que aturar o resto da vida, porque nem se aposentar se aposentam.

É náusea mental, aquela coisa de ver e já saber sobre o que fulano vai falar, os mesmos problemas, as mesmas dúvidas, as mesmas desavenças com fulaninho, com cicraninho, o beltrano que faz a mesma coisa há séculos, a mesma risada, a mesma palhaçada. Eu sei que isso não é nada normal, porque as pessoas tem um padrão de comportamento que sempre será aquele, assim como toda população.

Não gosto de pessoas limitadas a um único circulo de amigos, nunca fui assim, e me dei conta que nos últimos três anos o meu circulo social se resume aos mesmos de sempre. Estou totalmente limitada, minha cabeça tá limitada, os assuntos se esgotaram e a paciência tá por um fio.

E eu tenho um sério problema, eu sou para raios (com ou sem hífen?) de desabafos. Eu acabo sabendo sobre a vida de todos, namorado disse pra eu começar a cortar isso, e no fundo ele está certo. Todo mundo vem e me fala uma coisinha que no fim soma-se tudo, liquidifica na minha massa encéfalica e consequentemente entro em colapso. Porque nem tudo que x me fala é verdade e daí vem y que complementa, e surge o z que conclui. 
Não dá pra ser amigo de todo mundo ainda mais quando todos são do mesmo grupo. E eu nunca consegui manter certa distância das coisas e cortar as pessoas quando vem me falar algo que sei que futuramente y vai me perguntar e então não vou poder falar por lealdade a x e então, eu acabo entrando em conflito comigo mesma. Internamente. E também não sei ser grossa a ponto de cortar a pessoas. O problema é que não adianta, sempre se acaba falando 1% do que z fala e daí no fim quem se rala sou eu, porque estou no meio de todos.

Acho que estou usando a solidão que tem sido a minha companhia, como uma auto-defesa. E também acho que vcs não entenderam bulhufas desse post e que estou sendo chata.

Mas deixa eu concluir que uma parte de mim me diz que estou certa, as vezes é melhor a gente se afastar e manter as pessoas na estante da Pitty por um periodo indeterminado... e outra parte de mim pergunta como farei isso.


22 comentários:

Gaby Almeida disse...

Oi flor, vc sabe q amo seus posts né? e por incrivel que pareça sei bem o q vc ta passando... ano passado passei por isso, tomei abuso das pessoas que me rodeavam, da mediocridade, da mesmice... me afastei, dei um tempo, meio q entrei em depressão, passei uma peneira nos meus amigos, selecionei e fiquei só com os melhores e claro um ou outro de farra pq é preciso heheheh. Qndo vc fizer isso vai se sentir melhor... se precisar conversar alguma coisa to por aqui...

On The Rocks disse...

rê,

no youtube. é o primeiro video que aparece.

bj

Desabafando disse...

Eu entendo sim...acho que eu ando meio parecida a vc nesse sentido. Cansei de certos tipos de pessoas que não mudam e não querem que ninguém mude. Por isso andei fazendo novas amizades e tenho me surpreendido, ainda existe gente legal, acredite nisso.

Não sei se posso opinar muito porque sei que essa é uma situação complicada e nunca enfrentei nada parecido com relação a amigos porque meus amigos são pessoas de vários círculos diferentes, e isso já impede esse tipo de confusão. Mas por outro lado, passo pela mesma coisa com pessoas da minha família. Ou passava, porque adotei uma medida meio radical para não me incomodar mais com isso e não deixar que a bomba estoure sempre nas minhas mãos.

Miinha família é enorme e sempre tem um ou outro que quer comentar do Z ou do Y. Aí passei a fazer o seguinte:
O X vem falar e reclamar do Y. Aí eu respondo: olha X se vc tem problema com Y, fale isso diretamente ao Y e resolvam isso mas não venha descontar suas frustrações e problemas em mim que não tenho nada a ver com a história. Vai falar tudo isso que vc está falando pro Y porque não posso te ajudar.
Sei que é radical, mas a pessoa acaba ficando quieta e percebendo que não aceito me envolver na intriga e vai procurar outra pessoa pra falar besteiras. Ainda que receba caras feias de volta, tem sido bom. E lógico que com família dá pra usar essa tática pq os laços são mais fortes e resistentes do que certos laços de amizade né? Não é por eu falar isso que certos familiares vão deixar de gostar de mim e de me procurar entende?

E não é uma questão de ficar em cima do muro, só de me defender e mostrar que não quero entrar em conflitos que não me dizem respeito. Foi a forma que achei de ser mais verdadeira comigo e de não alimentar as neuroses dos outros pra que pensem que eu concordo e defendo o que estão fazendo de errado.

Desabafando disse...

Ah..e dá pra fazer isso sem ser grossa...eu falo com jeitinho. Entendo sua situação mas porque vc não vai resolver isso com Y? rsrsrs...

do jeito que escrevi talvez pareça que eu acabo sendo grosseira e rude demais.

Eve disse...

Eu entendo perfeitamente.

acho que todo mundo precisa manter a sua individualidade para poder manter a sua sanidade. não é pecado.
eqto aos desabafos, ou corta ou ouve quieta sem participar, uma hora as pessoas se tocam e param de falar.
e eu adoro ficar comigo mesma.

bjs

Páginas da minha vida disse...

pior que eu te entendo. houve uma época que eu estava assim mesmo. todo mundo vinha despejar seus problemas em mim, tudo ao mesmo tempo.e quando chegava na hora de dormir...nossa, eu me sentia uma velha de tão exausta que estava.

até que fui saindo, cortando ,e hoje são bem poucos que fazem isso.

vc está certa. se dê um tempo para respirar.leia, vá ao cinema...ficar tomando os problemas dos outros, faz até mal.

bjs

Lorena Portela disse...

rêe!!

o texto tá ótimo! concordo com muito do que foi dito... mas enfim, bola pra frente.

beijo flor.

Luciana Klopper disse...

De maneira alguma seu post tá confuso, sei exatamente qual é desse sentimento de nauseas a que se refere, as vezes me tranco no meu mundinho, ou evito certas pessoas, mesmo que ela não tenham feito nada pra mim...mas pela carga que elas trazem e me deixa pesada!

Liana disse...

às vezes é melhor se afastar mesmo... na verdade, quando alguma coisa tá gerando energias ruins pra gente é melhor afastar.

e poxa, quando vc achar ruim ser pára-raio de desabafos, lembra de mim e ri bastante: eu sou pára-raio de loucos.

Fala garoto, fala garota. disse...

Passo por isso, fica tranquila. São como as fases da Lua... Um dia, decepções com amigos, vontade de fugir desse emaranhado de comentários maldosos, gente falsa, etc.
No outro, vontade de convidá-los para uma conversa despretensiosa no parque, um chimas pra contar as fofocas...
Pq tão contraditórias?!

Paulo Palavra disse...

bah. achei que vc ia falar de livros...
uaheuaehueaheuheuheu

vou pra gramado em junho. a gte vai se falando até lá pra vc me passar tds as dicas, ok?

=*

Barbarella disse...

Reh... super te intendo...
Sou assim...cansei de todos...das frases feitas, da hipocrisia...vivo eu no meu mundinho..tem lá o filho e o marido, mas cada um na sua ...entende...rs

Bejitos...

''Tay' disse...

Reh te entendo,
as vezes prefiro a solidão tb.

bjus =*

Barbie Girl disse...

Adorei seu canto, tudo arrumadinho, aconchegante... voltarei mais vezes!!

beijos

THAYSA AGUIAR disse...

Tem uns selinhos lá no meu blog para você, vê lá: http://www.deinvernoaverao.blogspot.com/

Bjz, espero que goste :)
COMENTA Õ/

Ju disse...

Menina, vivemos a mesma vida.
Também estou passando por esse mesmo momento. Acrescentando que tenho notado que eu sou amiga das pessoas, ouço, aconselho, aguento... mas a recíproca não é verdadeira, ou seja, elas não são minhas amigas. Meus defeitos não são compreendidos, tolerados e aceitos.
Entaão, que se fodam todos!
hauhauahaua
bjos

p.s.: E eu me achava "doida" porque percebi que me "estressava" com os problemas dos outros. Notei que minha vida é muito boa, mas me desgastava com os conflitos dos outros. Digalá! Ainda bem que li esse post aqui! rsrs

IsaBella disse...

Oi!!!
As vezes a gente passa por uma fase assim!
É... vamos dizr assim... "aceitavel" q vc esteja assiim, pq dizer que é 'normal' fica complicado!
hauahuahauahauahaua!!!
xD
Brincadeira... isso é normal msm!!!
^^
As vezes as pessoas não nos entendem! x/

Melhoras para seu humor nostágico!
;)
beijinhusssssssss

Taiany disse...

Adorei e concordo com vc que as vezes é necessário se afastar de tudo e todos para por as coisas em ordem,as nossas coisas,nossos pensamentos,pois se não temos esse tempo só nós,podemos estar agindo como todo mundo e sem personalidade.
ps:muito,muito feliz pq vc lavou do Renato Russo ele era o cara e ainda podia ficar de noia em casa.
bjos

DESASSOSSEGADA disse...

Isso aconteceu comigo por falta de trabalho fiquei um ano em casa decidi q nao iria trabalhar naquele periodo e puf 6 meses depois estava odiando todos ao meu redor menos os familiares, tudo havia perdido a graça eu nem queria sair do meu quarto.

Acho que esta na hora de vc ocupar essa cabecinha com algo que lhe de verdadeiro prazer quem sabe GASTAR??? é uma boa né.

Mas caso isso nao possa ser feito afaste-se é a melhor soulução pois vai chegar uma epoca que vc estara aspera com as pessoas e vai ganhar fama como eu ganhei antipatica e insensivel ssrsrsrs.

BJos espero que passe logo essa fase Renato Russo

Luna Sanchez disse...

Não sei se serve de consolo, mas eu já nasci assim, Rê : sempre prefiro ficar na minha companhia (que gosto muito, por sinal), do que aguentar as mesmas pessoas e seus assuntos repetidos.

A droga é que o povo não respeita essa opção, e a gente acaba sendo obrigada a falar umas verdades... =\

Beijo, beijo.

ℓυηα

Por que você faz poema? disse...

Estar só nunca é estar sozinho, não há companhia mais abrangente do que a nossa.

Gabriela disse...

Me identifico 100% com seu post. Parece que, sem perceber, eu virei tudo o que um dia abominei. Me sinto bitolada, limitada, presa numa bolha, num grupo que me dá náusea, que me dá tédio. O dia-a-dia, os objetos, as pessoas à minha volta... tudo me enoja, tudo me dá uma sensação de indolência, de imobilidade, de limitação... enfim, uma náusea existencial. Eu não sei como cheguei aqui, como me transformei nisso que eu nem sequer consigo admirar, mas o fato é que estou aqui e mudar é muito difícil... Tento conversar sobre isso com as pessoas à minha volta, mas ng realmente entende o que eu quero dizer, e pior, acham que eu estou ficando maluca. Um beijo.
PS: By the way, já leste "A Náusea", do Sartre? Recomendo!