terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Meu campo de batalha

 



Eu tive um professor na faculdade que não fazia chamada e também não se interessava se o aluno ia ou não na aula. Ele apenas se interessava por aqueles que queriam ficar e entender o que ele falava. A matéria não tinha muito a ver com o curso, tanto que hoje ela é opcional e eu lamento muito que uma faculdade de Direito não tenha essa cadeira na sua grade. Apenas se o aluno optar por ela e, pelo nome... muitos não irão fazer por puro preconceito e alguns eu diria até que por ignorância completa.

Por ele ser mais velho, enigmático, inteligentíssimo e com um tempero de humor negro, choviam e chovem alunas com segundas intenções em suas aulas. Uma das minhas amigas, era completamente apaixonada e eu era completamente alucinada pela forma dele de expor as aulas e me passar um conhecimento sobre algo que sempre tive interesse e não sabia onde pesquisar.

Depois do semestre ter passado, fiz  oficinas jurídicas com ele. Fui me aproximando. Acabei fazendo meu trabalho de conclusão com a sua orientação e tenho ele até hoje como meu amigo. Não precisamos falar todo dia, nem mandar e-mails diários. Já se passaram 5 anos da minha formatura e cada vez que converso com ele, parece que o vi ontem pelos corredores da faculdade. O clima, a ironia e a intimidade nunca mudam e nem vão mudar.

Eu acho interesantíssimo pessoas inteligentes e quando são mais velhas, melhor ainda. Pessoas sábias que  não precisam ter tudo na ponta da língua, mas nunca te deixam sem explicação. Gosto de quem consegue esmiuçar o complicado e consegue passar o entendimento  adiante. Realmente, é um afrodisíaco se tiver um tempero do sarcasmo. Eu praticamente sugo tais pessoas e quando me torno amiga delas, pra mim é uma dádiva alcançada. Sei que elas vão estar sempre no meu "campo de batalha" e que posso contar com elas a qualquer momento, seja por facebook, por e-mail, por telefone, por msg de texto ou pessoalmente.

Por essas e outras que eu acho cômico quando alguém me fala que se decepcionou com tal fulano. Eu me considero uma pessoa seletiva e de tão seletiva, posso parecer realmente que sou deveras antipática num primeiro momento. Nunca tive decepçao com amizade (quando digo amizade, nao tem nada a ver com colega de trabalho, colega de happy, a fulana amiga da ciclana). Amizade pra mim é algo complexo por demais. Antes de me aproximar da pessoa, eu já escolhi ela pra ser minha amiga. Assim como meu professor.


8 comentários:

Eraldo Paulino disse...

Bom, em relação ao que disse sobre o tue professor, eu diria que os verdadeiros educadores estão disfarçados entre a maioria dos professores. Nós reconhecemos eles pela satisfação de estar em sala de aula, e não pela presença lá unicamente por uma presença na caderneta. Enquanto a amizades verdadeiras, realmente são raras e perenes.

Bjs saltitantes!

DESASSOSSEGADA disse...

Amizade pra mim é algo complexo por demais. Antes de me aproximar da pessoa, eu já escolhi ela pra ser minha amiga

Sabias palavras faço das suas palvras as minhas sou bem assim tbm.

Bjos

♕Miss Cíntia Arruda Leite ღ disse...

Uau!! Eu também sei reconhecer de cara quem é amiga!! Bom isso, assim nos decepcionamos menos.

Estou de volta aos blogs, beijos

Gaby Almeida disse...

Menina eu tive um professor assim, ele foi meu orientador tb. Sempre me senti orgulhosa de ser aluna dele, e garanto que se tiver outra chance em uma pós serei aluna dele com o maior prazer. Sobre as verdadeiras amizades, penso como vc, eu seleciono bem, pra evitar decepções.

Eve disse...

e foi com um cara assim que eu casei, tá. dá licença. rsrsrssrs
bjs!

Desabafando disse...

Xiii...ao contrário de vc já me decepcionei sim com algumas amizades...mas pq as via como amigas quando na verdade eram apenas colegas!

Bah disse...

O problema é quando acabam nos escolhendo e somos as últimas a saber rs...

Kisu!

JaNine disse...

Adorei o texto!

Bjus