quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Quem tá certo?

É por causa da minha vontade de falar, nada conservadora, que sinto que as vezes uma pessoa que conheci em 5 min, já consegui criar todo um vínculo de intimidade/amizade/espontaneidade. Talvez, seja o meu trauma por ser filha única, quem sabe? Freud já morreu.
Mas aquela máxima de que nunca se deve mostrar os dentes, eu nunca cumpro. Não adianta. Acho até que desde a "tenra infância", eu nunca cumpri. Já tive momentos da vida que isso foi totalmente a favor, e em outros, totalmente contra... como se eu andasse na contramão o tempo inteiro com algumas pessoas, que na verdade, eu deveria apenas mostrar um pedacinho do dente da frente... quem sabe... mas não, eu mostro a arcada dentária inteira e, as vezes, todo um histórico de vida completo.
Admiro pessoas que tem pé atrás com todo mundo, talvez  sejam assim porque pelo seu caminho já levaram na cara muitas vezes. Eu levo na cara, mas continuo na expectativa de um mundo melhor e acreditando que as pessoas não tem segundas intenções, que se mostram genuínas e inocentes-bocabertas que nem eu.
Admiro porque elas passam a imagem de segurança, de saber por onde pisa, e até que se prove ao contrário, tu não é uma boa pessoa.
A minha percepção caminha pelo lado inverso: até que se mostre ao contrário, todo mundo é meu amigo e me quer bem, e por enquanto, estou feliz assim, afinal, a minha cota de esperança ainda não acabou.

6 comentários:

Letras Saltitando disse...

BAH: eu não consigo visualizar teu blog! bjos

Christian V. Louis disse...

Caralho, faz um tempão que não venho aqui. Não sei se não está atualizando ou o Blogger que anda aprontando conosco, há blogues os quais estão sendo atualizados e não recebo as atualizações.
A respeito do tema, sou o inverso de você. Não acho o ser humano confiável, para mim o ser humano não presta e isto não me torna infeliz, muito pelo contrário, ao levar uma rasteira, eu já esperava por isto e pouco me abala.
O importante não é como ser, mas como estar e se você está feliz confiando nas pessoas e tendo ainda esperança, isto é o mais importante.

Cheshire cat disse...

De quem já esteve do lado de lá e agora está do lado de cá. Ter fé nos outros faz bem. Sou muito mais leve e mais feliz agora que me desarmei.

Cristiano disse...

Cota de esperanca nunca tem que acabar... se acabar a coisa piora.

:P

Bah disse...

Entra lá, tá aberto ao público!

Eu já fui mais "ingênua" auhaua de não ver nunca as coisas negativas, mas com tantas pancadas da vida, eu pelo menos agora consigo distinguir, aquela coisa de primeira impressão e segunda... depois eu tomo a terceira como definitiva. Todos são passíveis do benefício da dúvida, porém não há chances comigo quando se trata de me enganar.

Kisu!

Rachel Chagas disse...

Achei esse texto a minha cara...