sexta-feira, 5 de abril de 2013

O Ser Humano que Habita em Você.

Acho que todos já devem estar sabendo sobre o manifesto que houve em Porto Alegre em função das passagens. Se não sabe, joga no google, pq eu não vou explicar coisas que já estão explicadas demais.

Mas o que queria deixar registrado aqui, pra minha posteridade, é a tristeza de ver o quanto as pessoas estão desacreditadas, maldosas, críticas e intolerantes.

Por mais que tu tenha todas as boas vontades do mundo dentro de ti, sempre vai ter uma pessoa pra te deixar pra baixo ou fazer com que tu questione os teus próprios atos de uma maneira tendenciosa e maldosa. 

As pessoas tem prazer em fazer com que o outro mude sua opinião, suas idéias e sentimentos de uma forma mirabolante e totalmente contrária aos teus ideais. Gostam de criticar, de apontar os erros, mas ajudar, oi? Essa palavra existe?

Não vivo em um mundo fanta de amor e que todos se querem bem e se unem em prol do bem coletivo. Até porque, nem no teu círculo de amizades, isso existe. As pessoas te querem bem, mas nunca querem te ver melhor do que elas. E tem aquelas que cagam e andam pra ti, mas cada vez que te vêem abrem aquele sorriso colgate que te dá me-do. Mas preciso dizer, bem que eu gostaria. Gostaria sim, que fosse assim. E não é questão política, é questão de ser humano, sabe? Ajudar o próximo é sinônimo de ajudar o coletivo, ou só eu percebo isso?

Não tenho vínculo com nenhum partido. Não sou uma louca fanática. Nunca fui. Eu só gostaria que as pessoas parassem de reclamar um pouco, que trocassem o sentimento ruim por um bom, que parassem de desconfiar que sempre há alguma coisa por trás-ou seja, desacreditadas; que soubessem que cada ação tem uma reação- e se esta ação for pro bem, as recompensas são extraordinárias. 

Entenderam? Ser humano. Nada a ver com política.

5 comentários:

Christian V. Louis disse...

Não é só você que percebe isto e, infelizmente, os que percebem e se manifestam podem se preparar para as pedras que serão lançadas.
Meu último post coincidiu de certo modo com este seu. Fiquei um mês e pouco ausente da blogosfera e, quando retornei, não consegui evitar em escrever a minha indignação diante do meu retorno quando retomei o costume de leituras dos blogues.
Encontrei uns três posts onde os (as) autores (as) usavam de termos pejorativos para se referir aos outros, que quem tem um pouco de noção e informação sabe que não há veracidade neles e todos os comentaristas "coincidentemente" seguiam a mesma linha de raciocínio concordando com tudo, incluindo os dos grupos atacados pelo preconceito (!).
Uma pena que poucas foram as pessoas que compreenderam o meu post que era apenas um alerta para opinar apenas o que se conhece e não tratar tais pessoas como semideuses por terem blogues populares, mas parece que ter o mínimo de senso crítico e humanidade é sinônimo de ser polêmico.
Eu não entendo muito bem por que motivo uma pessoa tem blogue se tem preguiça de ler ou não consegue interpretar um texto simples e claro.
Talvez seja realmente esta má fé descrita aqui. Talvez sejam pessoas que percebam que não vou pelo caminho do senso comum, tal como você não vai, e acham melhor deturpar nossas ações, querendo fazer com que desacreditemos de nós mesmos.
Lamento.
Por elas.

Rebeca disse...

Rê, é muito difícil falar sobre isso pq eu QUERO acreditar que as pessoas, ao me ver feliz, vão ficar felizes, sabe?
Aí paro pra pensar a respeito e sinto que vc está certa, que a maioria das pessoas me querem feliz, mas não mais feliz que elas e é por ISSO que no facebook tem tanta gente SUPER feliz.

Tem uma menina expatriada que mora perto de mim. Um dia ela me ligou chorando pq o marido dela a agrediu (ele usa drogas). Eu fiquei desesperada, mas não ia me meter no casamento dela, tirá-la de casa, pra ele vir aqui tentar matar todo mundo, né? Aí fiquei na minha e continuo em contato pra saber se ela tá bem, mas no facebook ela e o marido são o casal de comercial de margarina. Quem vê pensa que ela é a mulher mais sortuda e amada do mundo.
Sabe pq? PQ as pessoas querem parecer mais felizes do que os outros. Há competição até na quantidade de viagens e festas, nas bolsas Louis Vuitton, Michael Kors, mas maquiagens e roupas e a competição é "entre amigos"!

Mesmo sabendo disso, eu ACREDITO que há excessão e eu QUERO ser parte dela pq pra mim, não há outra forma de ser feliz!

Sobre as pessoas serem desacreditadas o problema é que elas não querem ser desacreditadas sozinhas. O descreditado quer convencer todo mundo a odiar tudo de braços cruzados e isso me IRRITA!

ÓTIMO post!
:)

Beijão,
Rebeca
xoxo

Bah disse...

Isso das pessoas quererem seu bem, mas nunca melhor do que elas é uma grande verdade. Parece que competição é algo do ser humano. Algo que não dá pra explicar. E se vc consegue não ser competitivo, vc tem algum "problema" na concepção da maioria das outras pessoas... eu acho realmente uma pena tudo isso, mas enfim... ainda bem que ainda tem gente que presta no mundo.

Kisu!

ONG ALERTA disse...

As pessoas precisam elas ser verdadeiras....
Beijo Lisette.

Nequéren Reis disse...

Oi!!!, amei o blog sucesso, Deus seja contigo
já estou te seguindo,OBRIGADA PELA VISITA
Curta e participe do meu blog e fan page.
Twitter: https://twitter.com/
Instagram: http://instagram.com/nequerenreis
Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Fan Pag: https://www.facebook.com/pages/Batom-Vermelho/490453494347852?fref=ts