sábado, 19 de dezembro de 2015

Gabriela, e o meu fiasco da semana


Desde que eu soube que estava grávida, sabia que era uma menina. Ontem, fiz a eco que confirmou que havia uma menina nadando na minha barriga. Minha prima disse que toda vez que fazia a eco quando grávida, começava a chorar. Me senti anormal. Nunca chorei. Apenas fico literalmente hipnotizada vendo cada detalhe naquela tela preta e branca. 

Essa semana passei um dos meus primeiros fiascos. Estava dentro de uma loja comprando vestido, e eis que de repente, começo a sentir um suor interminável, as pernas bambas, e ouço a voz do atendente como se eu tivesse dentro de uma piscina. Horrível. Peço pra sentar e várias pessoas ao meu redor me deixando cada vez mais nervosa, e uma delas me traz um copo dágua, tomei, e vomitei. 

Daí chamam o guarda, o bombeiro (que nem sabia que trabalhava bombeiros dentro de um shopping), e eu ali sendo abanada. O meu medo era desmaiar. Mas não, aos poucos conseguir ir me recompondo, paguei o meu vestido, agradeci pela atenção, e saí da loja com a cara mais pálida que neve do Alasca.

Além disso, um dia antes, eu comecei a sentir um corrimento líquido. Fui pra net, e fiquei apavorada com a porcaria dos comentários daquele BabyCenter. Lá é o antro das mulheres desesperadas e catastróficas. Eu estava bem tranquila achando que tal corrimento em excesso era apenas por causa do excesso de hormônios, pois já que eu choro até vendo Uma Linda Mulher, por que não teria excessos fisiológicos também? Até que, leio o depoimento de uma mulher falando que estava perdendo o liquido amniótico e quando chegou na emergência, era tarde demais. 

Ou seja, larguei tudo o que estava fazendo as 17h da tarde e fui na emergência do Hospital. Chegando lá, novata no assunto, cheguei na emergência normal- onde há gente com mordida de cachorro, gente com virose, com vírus, com febre, morrendo e o escambau a quatro. Falo pra atendente bem baixinho: "oi, eu tô grávida e tô sentindo um corrimento", Ela me olha, e diz em alto e bom som: "temos uma grávida aqui, favor chamar a fulana pra leva-la pra emergência obstétrica". 

Esse Hospital possui tantos anexos que mais parece a mansão downton abbey... enquanto eu aguardo, eis que aparece uma enfermeira com uma cadeira de rodas e me diz: "querida, vamos?". Fiz um giro de 360 graus com a cabeça tentando entender quem era a querida. Era eu. Constrangimento em grau máximo. 

Atravessei todo o Hospital de cadeira de rodas. Uma experiência que não quero repetir, pois as pessoas te olham com um olhar de pena, mas tão de pena que te faz sentir como se estivesse na fase final da vida. Prometi à mim mesma que jamais vou fazer esse olhar por pessoas que andam com cadeiras de rodas. Acredito que é uma atitude espontânea, do tipo, "me compadeço por ti", mas o olhar é terrível. O olhar não é de compaixão, é de pena, de pesar. Horrível.

Enfim, chegando na emergência obstétrica, dous meus dados, carteira do plano, cara-crachá e em menos de 2 minutos sou atendida. A enfermeira mede pressão, mede temperatura, me coloca na cama e usa um aparelho de mão para identificar o coração do bebê. Ela não localiza. Começo a suar frio, e ela me diz: "vou deixar pra médica fazer a eco, pois sei que vocês ficam nervosas". Dei graças a Deus mentalmente.

Chega a médica de plantão. Uma grossa. Localiza o bebê, as batidas, e me diz: "tu não está perdendo liquido amniótico, isso que tu tem é só excesso de hormônios". Daí faz o exame de toque, apalpa colo, diz que tá fechado. E me pergunta: "é mãe de primeira viagem, né". Só falo "aham". 

Ela liga pra minha médica, o que me deixou com mais raiva, pois já havia mandando whats pra ela e me deixou no vácuo. E me retorna dizendo: "tu espera pra eu te dar o laudo, pois já avisei tua médica e está tudo ok". 

Sério. Gravidez é algo surreal. E prometo nunca mais entrar nessa porcaria de BabyCenter.

3 comentários:

Ane disse...

Caraca que chato, esses sites são muito apavorantes, em vez de dar tranquilidade p pessoa já partem sempre pro pior das hipóteses!
Que bom que estão bem e foi só o "primeiro" hehehe.. brincadeira

E a bebe, se chamara Gabriela?

Débora disse...

É tanta coisa que passa na cabeça, né?
Internet ajuda pra caramba, mas às vezes nos deixa com a pulga atrás da orelha!

Micha Descontrolada disse...

Ainda bem que estava tudo bem. Mas adorei ler o seu relato, pois hoje em dia só leio mães chatas e neuróticas e vi que você é diferente delas.

Beijossssssss
┌──»ʍi૮ђα ツ